Assim que confirmada a gestação, a gestante deve de imediato buscar um obstetra para iniciar suas consultas de pré-natal. O obstetra escolhido, deve ser de confiança da gestante, que passe segurança para ela e que a dê liberdade e conforto para fazer qualquer perguntas, e assim extinguir qualquer dúvida que tenha sobre o período da gravidez, parto e pós-parto. 
 
O pré-natal é nada menos que, um acompanhamento minucioso e detalhado, que é feito durante toda a gestação, onde o médico avalia a saúde da gestante e do bebê, faz recomendações sobre esse período e busca prepará-la para a chegada do bebê. Durante esse acompanhamento, o obstetra também irá verificar de acordo com os exames e detalhamentos de toda a conversa e histórico de saúde da gestante, o grau de risco da gravidez, sendo baixo risco ou alto risco.
 
É importante ficar atenta a recomendação do Ministério de Saúde, onde diz que, a gestante deve ir a pelo menos 6 consultas de pré-natal. Porém, a maioria dos obstetras buscam consultar suas pacientes mais que isso, o que se torna positivo. Normalmente, até o 7º mês de gestação as consultas do pré-natal são feitas mensalmente, quinzenalmente a partir do 8º mês e semanalmente quando entra no 9º mês de gestação. 

O que acontece durante o Pré-natal?

 
Durante as consultas, os principais pontos a serem observados são:
 
– O médico deve conversar com a paciente para saber como anda seu estado geral, quais sintomas vem apresentando e, a partir da 20ª semana, indagação sobre os movimentos do feto.
– Medição da pressão arterial.
– Verificação do peso.
– Aferição da altura do útero e da circunferência abdominal.
– Ausculta dos batimentos cardíacos do feto.
– Solicitação de exames médicos (laboratoriais, de imagem e outros, se necessário).
– Observar as mamas e ensinar o que se pode fazer para prepará-las para a amamentação.
– Oferecer as vacinas necessárias.
– O médico deve se informar sobre os hábitos alimentares da paciente, corrigir eventuais desvios e aconselhar a alimentação mais apropriada para o período gestacional, além de orientar sobre a adoção de um estilo saudável de vida.
– Deve ser verificado se a paciente ou seus familiares carregam alguma carga genética que possa ser transmitida ao feto. Em caso afirmativo, pode-se optar por um aconselhamento genético.
– O médico deve verificar também se o pai ou a mãe tomam medicamentos, fumam, usam álcool ou algum tipo de droga e, se possível, interrompê-los.
– O médico provavelmente recomendará o uso de ácido fólico, que tem muitos efeitos benéficos na gestação e que, quando possível, deve ser tomado desde antes da gravidez.
– A paciente deve ser advertida sobre a diabetes gestacional e a pré-eclampsia, condições transitórias que podem aparecer como intercorrências durante a gravidez.
– A gestante deve visitar a maternidade e o berçário antes de seu parto, para fazer sua escolha e para não ficar, posteriormente, entregue a fantasias.

Quais exames são feitos?

 

Além de toda essa conversa, verificações e acompanhamento, alguns exames são de extrema importância para detectar qualquer problemas com antecedência, ou como forma de decidir o melhor meio de tratamento para algo que tenha sido já detectado. Por isso, durante alguns períodos da gestação, determinados exames serão solicitados pelo obstetra.

Entre eles estão:

– Hemograma, para determinar se há anemia ou infecções.
– Glicemia, para controlar o nível de açúcar sanguíneo que pode aumentar durante a gravidez.
– Sorologia, para identificar se há HIV/AIDS no sangue da mãe.
– Exame para detectar a sífilis.
– Exame para detectar a toxoplasmose.
– Exame para detectar a rubéola.
– Exame para detectar a presença do vírus da hepatite B.
– Tipagem sanguínea e fator Rh.
– Exame de urina.
– Exame de fezes.
– Ultrassonografia.

Como toda gravidez é diferente uma da outra, em alguns casos exames extras e mais específicos devem ser solicitados de acordo com o andamento da saúde da gestante e do bebê. 

Portanto, o Pré-natal é um acompanhamento que deve ser feito por toda gestante, de forma responsável por isso, pois é através dela que o médico poderá tomar qualquer providência que seja preciso caso algo venha a acontecer, e também para que a gestante não fique com nenhuma dúvida. Por isso, nunca falte a suas consultas, mantenha sempre contato com seu médico e comunique qualquer eventualidade que possa ocorrer!

Sem mais artigos
%d blogueiros gostam disto: