Vivemos atualmente em meio a vários bombardeios de polêmicas, julgamentos e desrespeito a informação, a opinião e as escolhas alheias, principalmente quando esses assuntos rondam o meio materno e alguns assuntos que geram tanta discussão como a via de parto.
É indiscutível a importância da informação em nossa vida, principalmente para fazermos nossas escolhas e forma nossa opinião sobre determinado assunto.
Pensando nisso, hoje quero passar para vocês informações valiosas sobre o parto normal, informações essas que podem fazer muita diferença em sua escolha, em seu empoderamento, em sua trajetória até o grande encontro com seu bebê.

Parto normal e sua fisiologia

Quando o bebê está pronto para nascer e é chegada a hora, nosso corpo entra em trabalho de parto e uma mistura de hormônios específicos que trabalham para o trabalho de parto acontecer, produzidos pela parte primitiva do cérebro: hipotálamo, pituitária e hipófise e independe da nossa vontade, ajudam a fazer todo o processo acontecer. Geralmente incia-se pela afinação do colo do útero, e após ocorrem as contrações uterinas que empurram o bebê em direção ao colo e o dilata, logo pode ter a perda do tampão mucoso que é um muco viscoso, durante o trabalho de parto pode haver o rompimento da bolsa, que pode ter acontecido antes de inciar o trabalho de parto, e nascimento do bebê. Mas todo esse processo pode ser prejudicado pelos processos psíquicos inconscientes e pelas interferências externas que mantêm o neo córtex da mulher ativo. 
Todo esse processo pode ser guiado, evoluído e diferenciado de acordo com as informações e preparação de cada parturiente.
Ele pode ser NEGATIVO, quando a mulher está praticamente sofrendo por antecedência e espera Medo, Dor e Tensão ou o parto pode ser POSITIVO, quando a mulher se empodera e Aceita, Aproveita e Relaxa.
É comum acontecer isso, justamente pelo fato que mencionei anteriormente, a falta de informação, as pessoas que a cercam de medo ou alguma experiência negativa obtida anteriormente por via de relatos negativos de pessoas que esperavam algo negativo ou por meio de violência obstétrica.
Por isso a importância de ter um acompanhante como garante a lei, de confiar no profissional que está lhe ajudando nesse momento e principalmente sentir-se protegida, segura e apoiada, confortável, relaxada, estar em um ambiente aconchegante, quente, agradável com penumbra e silêncio, ter privacidade, não sentir-se observada e ter liberdade. São vários os fatores que guiam o parto, o fazem acontecer e fará com que ele ocorra da melhor ou pior forma.
 

Estatísticas que cercam o parto normal

Infelizmente, o número de partos normais é menor do que o esperado no Brasil, apenas 16% dos partos na rede suplementar e 60% na rede pública são por via vaginal, e tudo indica segundo pesquisas, que esses partos são por meio de cesárea por falta de informação, negligência médica e em poucas vezes por escolha da parturiente.
O risco de mortalidade em um parto normal, é muito menor quando bem assistido e quando a gravidez não é considerada de alto risco, pois a fisiologia do nosso corpo permite e e está preparado para esse tipo de acontecimento, além desse tipo de parto ajudar a preparação da mãe para uma boa recuperação, amamentação e ajuda a liberação hormonal que banham o bebê durante o trabalho de parto o preparam para sua adaptação fora do útero, ajudam a expulsar o líquido amniótico dos pulmões e acordar seus reflexos para amamentação e que os hormônios sejam regularizados normalmente.
 

Como se preparar para o parto normal?

Hoje em dia, felizmente existe muitos profissionais humanizados que apoiam a mulher ter seu filho por via de parto natural e buscam informá-las e capacitá-las para esse momento, mas é possível prepara-se sozinha também ou na companhia da família, buscando informações com o Ginecologista que lhe esteja acompanhando no pré-natal, com doulas, na internet através de sites confiáveis e fazendo exercícios fisioterápicos, como já comentei aqui no blog.
A escolha de qual via de parto o bebê virá ao mundo, só cabe a gestante e com o que o coração dela diz, não cabe nem ao médico tomar esse direito de escolha dessa, desde que não tenha nenhum padecer médico que impossibilite a escolha da parturiente. Por isso não prego a radicalização do parto normal, mas sim a informação sobre o mesmo, e a importância dele para a saúde e o bem-estar tanto da mãe quanto do bebê, quando a mesma se prepara para esse momento.

Concluindo, eu sempre digo e afirmo, o parto normal não dói, ele é uma junção de várias sensações que te levam ao encontro mais esperado da sua vida, basta você crer que é forte o bastante para encara-lo!
 
Sem mais artigos
%d blogueiros gostam disto: