O casamento, é uma vida conjunta, entre pessoas que se amam e buscam algo em comum, e uma dessas buscas, é a de formar uma família. Porém, vejo diariamente a mudança radical que acontece e que muitas mães comentam e questionam sobre o casamento após os filhos.

Será que algo muda com a chegada de nossos filhos? O casamento se fortalece ou se abala?

A resposta é bem direta: só depende do casal!

Isso mesmo, e na maioria das vezes, depende mais ainda de nós mulheres.

A chegada de um bebê na vida matrimonial, é carregada de mudanças e novidades, porém, essas novidades vem mais rápido para os pais do que para as mães. Isso acontece, porque nós temos aquele período de reconhecimento e preparação que passamos durante os 9 meses de gestação, e na maioria das vezes acabamos esperando o que está por vir e não estranhamos tanto quando nossos maridos, que praticamente só se veem pai depois que o bebê está em seus braços, e essa adaptação em muitos casos pode até demorar mais.

O amor e o companheirismo que o casal tem na relação, pode contribuir muito positivamente nessa nova fase, podendo abalar ou não o casamento, isso dependerá de vários fatores.

Junto dessas novidades, vem a nova rotina, que acaba deixando as mães mais estressadas, cansadas, exigentes e cobradoras da participação do marido, que em algumas vezes acabam fugindo dessa responsabilidade e fazendo com que nós perda as rédeas da relação.

Entre as cobranças e nova rotina, o cansaço excessivo pode também modificar a vida sexual, e a mãe por diversas vezes perdendo a vontade de ter um momento intimo com o marido, principalmente com os primeiros meses de vida do bebê, onde encontra-se a fase do puerpério e a perda do libido por conta das alterações hormonais.

Outro fator que coopera para o desentendimento do casal, são as interferências externas, principalmente da família, quando excessivas ou com intromissões que não acrescentam positivamente em determinadas situações, levam o casal a discórdia.

Imagine que o tempo que o casal tinham para estar em sintonia, fazer programas juntos, agora está voltado na maior parte do dia para o bebê, que requer atenção 24 horas. Essa falta de tempo leva o casal a não ter bons momentos de descontração, o que agrava ainda mais a crise.

A sexualidade do casal, encontra-se afetada por “n” motivos, e um deles, principalmente nos primeiros meses, é a mudança no corpo da mãe, que passou por grandes transformações, e que acaba interferindo na relação principalmente nos primeiros meses, e isso acaba acarretando na forma em que o parceiro passa a ver sua mulher, enxergando-a apenas como mãe.

A divergência de opiniões entre o casal, principalmente na forma de educar os filhos, leva a conflitos, por isso é de extrema importância o diálogo, e entrarem em acordo sobre a melhor forma de educar e criar, vale até antes mesmo do bebê nascer.

Levando em conta esses fatores, podemos ver que todo o conjunto pode levar o casamento ao fracasso, por isso, as mães devem se preparar para esse momento, e buscar dialogar, envolver o marido nas atividades, sem cobranças exageradas, pode ser difícil, mas não é impossível. Buscar relevar nosso cansaço, ou até combinar um horário para ter um momento de vocês pode valer a pena, e pequenos detalhes vão fazendo a diferença.

Sem mais artigos