Olá mamães conectadas, merecidamente o primeiro post do blog vai ser falando sobre a descoberta da minha gravidez e um  pouco do que passei durante esses nove meses, aliás a maternidade começa à partir do momento em que o bebê é gerado.


Fotos de 4 à 9 meses

     Apesar de sermos novos,20 anos, eu e meu marido sempre demonstramos uma vontade enorme de ser pais, e nos planejamos para isso. Tentamos por alguns meses, até que achei que eu tivesse alguma dificuldade para engravidar, tinha até desviado meus pensamentos desse assunto. Em abril de 2013 resolvemos ir tentar levar a vida em São Paulo, já que boa parte da família do meu marido mora lá, e foi lá que a Júllia foi gerada.
     Minha menstruação sempre foi regular, tendo uma pausa de 28 dias entre um ciclo e outro, e quando engravidei eu descobri logo de cara, pois nunca tinha atrasado a menstruação, e o ciclo do mês de Junho já estava atrasado 2 dias. Foi aí que meu marido notou e chegou até a comentar comigo que eu estava grávida, e eu sem querer acreditar, fiquei bem ansiosa. No dia 26 de Junho resolvemos fazer o teste de farmácia, acordei cedinho, antes dele e fui ao banheiro quando todos estavam dormindo para ninguém notar, pois estávamos morando na casa da minha sogra. Não deu muito tempo e logo apareceu uma listrinha e bem em seguida a segunda, não tão escura. Fiquei duvidosa, sem acreditar, com uma mistura de sentimentos, preferi não me precipitar, mostrei o teste a ele e resolvemos buscar a certeza com alguém mais experiente em nosso trabalho. Nossa amiga disse que de cara que eu estava grávida sim, e só me vinha uma alegria radiante, mas sem poder contar nada a ninguém. Na semana seguinte, assim que pude, exatamente dia 05/07 fiz o Beta HCG e ficou confirmadíssimo, eu estava grávida de quase 1 mês! A felicidade tomou conta, mas tudo era segredo, até que aos poucos fui contando, primeiramente a minha mãe, e depois que falei a ela, fui falando pra todo mundo. Os primeiros meses foram difíceis, tive muito enjoos, não me dava muito bem com a sogra, até que eu e meu marido resolvemos pedir demissão da empresa para voltar para João Pessoa, aqui eu me sentiria melhor com o apoio da minha mãe. Então fiquei até setembro em São Paulo, nesse mês fui passar uns dias na casa de parentes do Rio de Janeiro e de lá peguei voo para João Pessoa. Graças a Deus tive uma gravidez tranquila, sem muitos incômodos. Com 17 semanas fiz a primeira ultrassonografia e descubro já o sexo do meu bebê, fui abençoada por Deus com uma princesa em minha vida. Mas meus exames de sangue me trouxeram resultados que me deixou preocupada até a o nascimento da Júllia. O exame de citomegalovírus deu positivo, eu tinha o vírus e estava reagente em meu organismo, ele pode causar diversos problemas ao feto se for adquirido na gravidez, desde uma interferência no crescimento até a morte. Como fiz meus exames já muito tarde – eis a importância de começar o pré-natal desde as primeiras semanas de gravidez-, não dava pra saber quando fui infectada, muito provavelmente antes da gravidez, coisa que tranquilizava um pouco, pois o vírus adquirido antes da gravidez raramente causa algum problema ao bebê por você já ter os anticorpos para passar pra ele, e adquirido no inicio da gravidez são os casos mais graves. Tudo estava ocorrendo com a gravidez, nada demais, pouca anemia, uma maravilha, Júllia se mexia bastante. Com 13 semanas senti a primeira mexidinha dela, algo bem fraquinho, e com as 18 semanas veio o primeiro chute, uma emoção sem fim. Com 22 semanas quando fiz o exame morfológico constava tudo bem com ela, menos o peso que não estava nas perspectivas paras o bebês de hoje, mas nada demais. Até que com 30 semanas quando fiz uma nova ultra a Júllia já estava abaixo do peso, algo estava comprometendo o crescimento dela, até hoje não sabemos o que era, nas ultrassonografias dava uma diferença de 3 semanas comparado ao peso dela com o tempo de gestação, refiz uma ultra com 37 semanas, e ela ainda continuava abaixo do peso, o exame acusava que ela estava com 34 semanas. Fiquei desesperada, com muito medo, achava que algo prejudicaria a saúde da minha filha. Tentei me acalmar e esperar a hora dela chegar, até que chegou o dia dela via ao mundo, veio linda, cheia de saúde para nos trazer muita alegria. A Júllia nasceu de 2,462kg e 45 cm, apesar de pequena ela estava dentro da curva de crescimento para a idade dela.

Sem mais artigos
%d blogueiros gostam disto: