Olá conectadas, creio que poucas mães sabem, mas as parturientes tem a lei do acompanhante, que garante por direito uma pessoa que a acompanhe no parto. O que acontece é que muitas vezes por falta de informação, esse direito não é respeitado. 
 
Quando a gestante entra em trabalho de parto uma certa insegurança chega a fazer parte daquele momento, e em ambiente hospitalar, muitas vezes vamos ter apenas profissionais, muitas vezes desconhecidos por nós, e que estão para fazer os procedimentos de costume. O acompanhante deve ser escolhido pela parturiente, pode ser um parente, um amigo ou uma doula, não importa o sexo, o importante é que se sinta acolhida e protegida pela pessoa escolhida. 
 
Um acompanhante é necessário para ele poder passar para a gestante uma certa segurança, poder acalma-la, dá apoio, e também ajudá-la em alguns cuidados. Quando a parturiente se sente segura, o parto flui melhor, aquele momento se torna menos tenso, e assim consegue-se ter mais plenitude em curtir o momento tão importante.
 
É  vigente em lei desde 2005, que toda parturiente tem direito de permanecer na maternidade com um acompanhante durante todo o processo de parto, desde o pré-parto, durante todo o parto, e no pós-parto. Porém pouco se é obedecida essa lei, onde muitas maternidades ainda a desrespeita, não permitindo a entrada do acompanhante na sala de parto, e assim deixando a gestante nervosa. 
 
Inclusive aconteceu comigo de não deixarem minha mãe entrar na sala de parto para está comigo no nascimento da Júllia, o que fez com que eu ficasse um pouco nervosa, mas consegui me concentrar no momento e desviar meu pensamento da decepção que foi aquilo, pois eu tinha conhecimento da lei, fui instruída que meu acompanhante me acompanharia, e a lei estava impressa e colada nas paredes da maternidade, então mamães ainda acontece esse descaso.
 
Então mamães, a lei está aí, ela é obrigatória para qualquer instituição, seja ela pública ou particular, é um direito nosso ter um parto humanizado e ter ao nosso lado alguém de nossa confiança, que possa nos relaxar para que o parto aconteça naturalmente. Agora que você já sabe da existência desse direito, lute por ele, exija que você possa ser acompanhada por quem você escolheu está nesse momento.
 
Alguma mamãe leitora já teve o acompanhante impedido de está com você? Conte para a gente!
Sem mais artigos
%d blogueiros gostam disto: