Olá conectadas, estive refletindo sobre os diversos conselhos que as pessoas costumam dá as novas mães, e creio eu, que muitos desses conselhos passam por cima de coisas muito mais importantes do que o mecanismo que os pais querem criar seus filhos. Sim mecanismos, por que tem muitos pais que educam os filhos para receber ordens e agir como robôs, sem ao mesmo nem passar o carinho que os filhos merecem, e que só os pais podem o dá.

Um dos conselhos mais corriqueiros que vejo por aí, são outras mães dizendo “não deixa essa criança no colo que vai estragar ela”, “não coloca manha”, “depois vai vai se “ferrar” por está colocando manha”… e por aí vai os conselho mais sem fundamentos que alguém  pode dá! O conselho que dou é, dê colo, dê amor. Eu não digo de passar 24 horas com seu filho no colo como se ambos não tivesse outras atividades a fazer, mas falo de quando seu filho precisar do seu colo, do seu carinho, você está ali de prontidão para oferecê-lo . Pensando nisso trago um texto de autor desconhecido que é muito bom para refletir sobre o assunto, leiam abaixo:


 “Como você se sentiria se quisesse conversar com seu marido sobre algo que fosse importante para você, e ele muito cansado de um dia inteiro de trabalho passasse direto por você e fosse olhar os armários da cozinha, depois o guarda-roupas, depois a sapateira, colocasse a mão na sua testa e dissesse para si mesmo:

– Hummm… Os armários estão cheios de comida, o guarda-roupas cheio de roupas lindas, tem sapatos novos na sapateira, ela não está com febre, minha esposa está limpa, bem alimentada, bem vestida, não está com frio nem fome, portanto não há mais nada que ela possa querer ou precisar! Eu a amo muito, mas creio que ela está mal acostumada, vou deixá-la ali falando sozinha, que quando ela se cansar ela dormirá tranquila, pois nada lhe falta…”

Se você como uma mulher adulta, capaz de compreender muitas coisas, não tem apenas necessidades físicas, pq pensar que um bebê recém chegado a este mundo só chora quando está com frio, calor ou fome??
Se você, que é adulta quer ser ouvida, beijada, abraçada e acarinhada, se você que é adulta quer sentir que te amam não apenas cuidando de suas necessidades físicas, quer se sentir segura e amada através do contato e da presença de um marido carinhoso, como pensar que um bebê não precisa (muito mais) da presença física e do contato com sua mãe??
Se você que é adulta precisa de presença, carinho e contato para estar feliz, como achar que um bebê também não precisa?
Se você que é adulta não quer “marcar hora” para receber carinho e atenção, como achar que um bebê merece ter isso de forma restrita e limitada?
Coloque-se no lugar do seu filho por um único instante, e por favor: vá pegá-lo no colo, embalá-lo, niná-lo, dê-lhe o peito, e mostre que você o ama da ÚNICA forma que ele é capaz de compreender agora: com sua presença física!”


Depois de ler esse texto, eu fiquei ainda mais convicta da minha opinião à respeito do assunto, eu dou colo sim, e colo não estraga coisa nenhuma! Basta pensar no quanto a sociedade quer impor horários para um bebê que acabou de sair do útero se alimentar de 3/3 horas, enquanto esse bebê recebia alimento constantemente através do cordão umbilical, e estava sempre acolhido ali naquele local quentinho. Um bebê que ainda não fala, logicamente vai se expressar através do choro, e quando um bebê chora não é por diversão, é por que está precisando de algo, ou apenas do acalento do colo de sua mãe.

Mas porque chorar pelo colo?

Porque no colo estão as mamas, e mamar em livre demanda proporciona, além do alimento físico necessário para o crescimento e desenvolvimento do bebê, um vínculo de afetividade e segurança. As mamas que amamentam são quentes, lembram a temperatura do útero; porque no colo o bebê escuta os batimentos cardíacos, os sons respiratórios, a voz da mãe; sente seu cheiro e seu toque. 

Todos estes fatores ajudam no desenvolvimento do bebê. Ouvir a respiração da mãe incentiva os movimentos respiratórios do bebê, reduzindo as apneias, especialmente frequentes em bebês prematuros. O toque estimula o sistema imunológico, ajudando o bebê a se armar contra as infecções deste ambiente extrauterino.

Todas nós mães sabemos o quão difícil e cansativo é estar disponível para um bebê 25 horas por dia, sim, 25 horas, porque mãe passa além das 24 horas do dia cuidando de sue filho. Mas lembre-se, tudo isso vai passar, e no final apenas a saudade e as lembranças vão ficar, e para as mães que não souberam aproveitar, vai ficar o arrependimento por não ter feito determinada coisa.

Portanto mamães, vamos dar amor, carinho, dá Colo aos nossos bebês, e aos filhos mais velhos também, que quando vão amadurecendo e tomando alguns tapas da vida necessitam do colo da sua mãe para se consolar e seguir em frente. Dá colo não é passar 24 horas com seu filho no colo, mas sim está de ali com o colo pronto para ele sempre que o solicitar.

E uma dica que é válida para qualquer assunto materno, ignore os conselhos sem fundamentos, ignore os palpiteiros de plantão e siga sempre seu coração, pois mãe sabe o melhor para seu filho sempre!
Eu dou colo e você?
Sem mais artigos
%d blogueiros gostam disto: