Que atire a primeira pedra os pais que não gostam de estar ali agarradinhos com os filhos, sentindo o cheirinho deles e até de dormir junto!
 
O compartilhamento da cama do casal com os filhos, é cercada de mitos e medos, além de um pouco do pitaco dos plantonistas julgadores. Toda mãe deve dizer, que vai evitar colocar seus filhos em sua cama, deixará eles dormir no seu cantinho, e isso os tornará mais “independentes”, além de dá privacidade ao casal e ser mais cômodo. Mas, se engana que acha que é por aí que caminha a situação.
 
Quando o bebê nasce, a cama compartilhada acontece naturalmente, sem previsões ou pressão. Acontece porque, com o passar dos dias, as situações favorecem para que isso aconteça, como por exemplo, a amamentação em livre demanda, que inevitavelmente se estende pela madrugada, e para conforto dos pais e do bebê, as mães acabam ficando com seu pequeno na cama, para evitar a romaria durante a noite.
 
A cama compartilhada, traz também o sentimento de segurança para os pais, que vão poder passar a noite perto do bebê e saber que o mesmo está bem, sempre precisar está se levantando da cama a todo momento para verificar a vitalidade do bebê, afinal, nós mães vivemos zelando pelo sono dos pequenos, checando inúmeras vezes se ele está bem. 
 
Como fica a intimidade do casal? 
 
Entre tantas coisas boas, há quem diga ou suponha negatividades nesse ato tão lindo de amor e carinho mútuo. Relatos de pessoas sem criatividade, dizem que a intimidade do casal pode estar comprometida quando os filhos passam a dormir na cama deles.
Mas como assim minha gente?
 
Quer dizer que sua intimidade com seu marido, se limita a uma cama e apenas na hora em que seu filho esteja lá? 
 
Gente, para se fazer cama compartilhada, a criança não precisa necessariamente dormir lá a noite toda e a todo momento, a cama compartilhada é feita de momento propícios, momentos em que todos envolvidos sintam a necessidade de estarem ali compartilhando a mesma cama.
 
Naturalmente o sexo não vai ser feito com tanta frequência, como antes de você ter um bebê em casa, pois ele pede tempo e exige mais energia dos pais. Então, se seu casamento esfriou e estão com pouco tempo e coragem para fazer amor, a culpa não é da cama compartilhada!
 
Portanto, quem consegue ver a intimidade além de uma cama e um quarto, a intimidade do casal não é atrapalhada em nada quando se compartilha uma cama. 
Meu filho vai ficar dependente? 
 
Na maioria das discussões com especialistas, levam a conclusões como, a cama compartilhada deixa a criança dependente e que atrapalha seu desenvolvimento. 
Me diga qual criança que não é dependente dos pais e quem já nasce independente?
 
Independente se os pais fazem cama compartilhada com seus filhos ou não, a dependência é algo natural, e as crianças dependem de seus pais desde o nascimento para inúmeras coisas. Quando se compartilha a cama, os pais passam mais segurança pra criança, a deixa mais segura de seu sono e aos poucos ela vai atingindo um certo nível de maturidade que a fará escolher onde ela dorme melhor, e que já está segura de si o bastante para poder dormir sozinha e ainda mais, ela irá saber que seus pais estarão ali para qualquer eventualidade.  
 
As pessoas, mesmo adultas, são dependentes emocionalmente uma das outras, elas estão ligadas entre si por um vínculo, e a cama compartilhada não fará com que seu filho se torne totalmente dependente do você só porque ele dorme em sua cama.
 
Quando irá sair da minha cama?
 
Falou em cama compartilhada, logo dizem: Cuidado, que ele não vai mais querer dormir sozinho! 
 
Respire e tenha a santa paciência, porque ninguém dorme na cama dos pais eternamente, a não ser que seja a única alternativa. 
 
De todas os relatos de cama compartilhada que leio, chega um hora que naturalmente cada um busca sua individualidade e se sente seguro o bastante para ter um lugar para chamar de “seu”. E assim é, com a segurança que você passa a seu filho, ele dirá através de sinais ou até palavras qual a hora de seguir dormindo sozinho, ou até mesmo vocês saberão o momento de fazer a transição para a cama da criança.
 
Então mães e pais, não tem nenhum bicho de sete cabeças, a cama compartilhada traz muitos benefícios, e como eu já havia dito anteriormente, você não precisa fazer cama compartilhada integralmente. Aqui em casa por exemplo, a Júllia dormiu ao nosso lado, em seu berço, até os 9 meses, mas sempre vinha para nossa cama perto do dia amanhecer quando se acordava para mamar, e foi quando nos mudamos para outra casa e ela foi dormir a primeira noite sozinha em seu quarto, e foi tudo muito natural, sem estranhamentos, sem choro, ela dormiu tranquila, ela sentiu que era hora dela dormir no canto dela, e até hoje ela tem um apego enorme pelo cantinho dela. Mas mesmo assim, ainda continuamos fazendo cama compartilhada parcialmente, todos os dias de manhã cedinho ela vem para nossa cama e ela até pede pra ficar, e amamos, compartilhamos muitos carinhos e assim tem sido até agora com 1 ano e 7 meses. 
 
Em nada a cama compartilhada nos atrapalha, não fiz integralmente desde o nascimento, porque sofro com muitas dores nos ombros e nas costas, e ficar em um posição a noite toda só me deixa mais dolorida. Tem mães que sentem o mesmo.
 
Portanto mamães, não se joguem aos palpites, ouçam primeiro seu coração e seu instinto, ele acerta mais do que qualquer outra opinião e o que vale é o que você sente!
 
Você faz cama compartilhada, conhece alguém que faz? Comente aqui, que vou amar poder saber sua opinião e bater um papo legal com você, e se gostou desse artigo, compartilhe para que outras mães possam ter também essa informação.
Sem mais artigos
%d blogueiros gostam disto: