A maternidade tem dessas coisas, de cada um ter sua opinião e querer impôr o que acha certo. Mas a verdade, é que cada mãe tem sua forma de maternar!

Se eu sou uma mãe à minha maneira, você é mãe à sua maneira. Mas sempre tem aquele alguém que nunca está satisfeito com a minha e a sua forma de maternar, e ela logo nos chama para uma discussão. Nos chama, direta ou indiretamente, não por nos mencionar, não por chegar e dizer algo na nossa cara, mas por ofender diversas mães. Sejam elas quem for, com palavras de baixo calão, ofende se dizendo superior e as outras inferior, ofende por não respeitar a maternagem alheia.

 
Se antes, ser mãe era sinônimo de plenitude, hoje em dia é visto como uma luta, uma causa social, onde cada uma luta por seu ideal. Ideal esse que muitas vezes, se torna uma luta comum, contra um único ou poucos seres que transmitem a discórdia. Hoje, você já entra para o mundo materno, pensando em qual será o próximo julgamento, o próximo dedo a ser apontado em sua direção, o próximo erro, ou qual será o desfecho de algo que esteja acontecendo no momento.
 
Se existem pessoas que não estão satisfeitas com pequenas coisas, imagine só quando diz respeito a amamentação, alimentação, tipo de parto, tipo de criação. A forma como você leva a maternidade em sua vida, se você é uma mãe que se culpa ou deixa de se culpar, se você seguiu com seus planos independente dos filhos ou se parou tudo por eles, entre outras incontáveis situações. 
 

Você nunca estará a salvo dos olhos invejosos, das línguas maldosas, das pessoas insatisfeitas e que simplesmente opinam de uma forma desonrosa na vida alheia.

O ringue materno está aí, e você tem que estar pronta para o que pode vir a seguir. Você tem que abraçar sua causa e seguir lutando por ela independente do que seja, mas sempre buscando o respeito. Pois é com respeito que podemos chegar a qualquer lugar, mas sem ele, morremos antes da metade do primeiro tempo. 
 
E quer ver ainda a luta nesse ringue se tornar uma causa social, meche com uma mãe que está quieta. E ainda mais, meche com milhares de mães que estão quietas mas acreditam em um propósito. É lindo, quando vemos as mães se unirem, lutarem por seus direitos, lutarem por seu espaço, lutar por sua voz. Porém, é mais lindo ainda quando chegam outras apoiando uma luta, mesmo que não seja o ideal que elas pregam.
 
Mas, mesmo assim o ringue nunca estará sem luta. Por que sempre tem quem queira começar uma batalha!
Porém, maravilhoso seria que se cada uma de nós com nossas crenças, nossas ideias, nosso ideal, respeitasse o ideal de outras mães. Que mesmo essas que não são tão iguais a nós, elas são semelhantes em uma luta. A luta de ser mãe, a luta social por voz, por ser respeitada, por impôr seu respeito. 
Sem mais artigos
%d blogueiros gostam disto: