Nossos pequenos começam a frequentar a escola, e uma das principais preocupações de nós mães, é a alimentação das crianças no ambiente escolar, já que nesse período, seja ele parcial ou integral, não estaremos por perto para controlar a alimentação. a alternativa mais segura e prática que temos como opção, é preparar o lanche dos pequenos e mandar na famosa lancheira, para que na hora da refeição a criança ou monitor retire o alimento da lancheira e consuma-o.

Porém, não devemos mandar qualquer coisa para os filhos comerem. Aqui em casa, como a Júllia vai para a creche, ela come o alimento que já tem lá, o que me deixa menos preocupada quanto ao que comer, mas ainda inquieta em não saber se ela está comendo direito. Mas, para as mamães que tem que mandar a comidinha, dê preferência a alimentos mais saudáveis e naturais.

Uma das refeições mais importantes do dia, são aquelas feitas na escola, por isso não adianta ter uma alimentação regrada e bem nutrida apenas em casa, se na escola os pequenos abusam de alimentos que não tem nada a acrescentar em seus valores nutricionais.

Para o transporte seguro dos alimentos, devemos levar em conta a qualidade da lancheira, observe se ela é térmica e mantém a temperatura dos alimentos por mais tempo, geralmente as lancheiras conservam os alimentos por umas 3 ou 4 horas. Comidas que se estragam como iogurtes, queijos, leites, e outros frios, devem ser bem guardados para um transporte mais seguro!

Muitas crianças que estudam de manhã, não têm o hábito de comer no café da manhã. Só tomam um leite, por exemplo. Para essas, o cardápio deve ser mais completo. Um líquido, uma fruta, uma proteína (queijos, por exemplo) e um carboidrato (pães e bolos) devem fazer parte da refeição. Já, se a criança teve um café da manhã completo ou se o lanche for no período da tarde, pode escolher duas das opções.
O que não pode faltar
     Um líquido: para repor as perdas nas atividades físicas: sucos, chás, água de coco engarrafados ou em embalagem tetra-pack, preferencialmente sem açúcar. Leites e iogurtes também podem ser consumidos, mas deve-se ter maior cuidado com a temperatura, mantendo-os em ambientes térmicos ou, se possível, na geladeira da escola;

     Uma fruta: fonte de vitaminas, minerais e fibras. Práticas para consumir com casca ou cuja casca pode ser retirada com facilidade (maçã, banana, pera,morango, uva). Pode ser inteira ou picada, de acordo com a preferência da criança. O ideal é variar e oferecer diferentes tipos de frutas durante a semana. Envie as frutas em recipientes apropriados (em embalagens no formato da fruta ou picadas em potinhos com tampa);


    Um tipo de carboidrato: necessários para manter a energia e o equilíbrio do organismo. Dê preferência aos carboidratos de origem integral. Pães (integral, fôrma, sírio, bisnaguinha, torrada), bolachas sem recheio, bolos simples, feitos em casa. E para rechear, uma geleia de frutas, requeijão light, queijo branco, margarina, presunto magro, peito de peru. Os frios são muito perecíveis e devem ser consumidos após comprados em até 3 dias.


    Um tipo de proteína: são necessárias para o crescimento, construção e reparação dos tecidos do nosso corpo. Proteínas lácteas: queijos, requeijões, iogurtes (somente se for possível manter em temperatura adequada).
O que não deve ter 

    – Snacks e salgadinhos de pacote
    – Refrigerantes
    – Isotônicos
    – Balas
    – Bolos com recheios e cremes
    – Frituras
    – Bolacha recheada
    – Se a opção for pela criança comprar a merenda na escola, oriente para que ela evite os refrigerantes, hambúrgueres e dê preferência aos salgadinhos assados ao invés dos fritos.
  

 Então mamães, dentro das opções que melhor nutri seus pequenos, escolha um de cada, se atentando sempre a conservação e o transporte do alimento para que os mesmo não estraguem!

Sem mais artigos
%d blogueiros gostam disto: